Quando o mal nos atinge

“Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam.”Tiago 1.12

Vivemos num mundo que se afastou de Deus e rejeitou a comunhão com ele. O resultado disso é um mundo que “jaz no maligno” (1ª João 5.19) e, como consequência, cria toda sorte de adversidades e sofrimento. É como explica o apóstolo Paulo: “Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões,facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.” (Gálatas 5.19-21).

Por isso, pessoas boas, muitas vezes sofrem as consequências do erro de pessoas injustas. A maldade de um pode fazer dezenas, centenas ou até mesmo milhares de pessoas sofrer. Neste mundo mal, injusto e corrompido não estamos livres do sofrimento e das aflições. O Senhor Jesus declarou: “No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.” (João 16.31b).

Se somos, portanto, atingidos pelo mal, que possamos crer e confiar que, como o Senhor também poderemos “vencer o mundo” (Romanos 8.37).

Do seu pastor e amigo
Gilton Medeiros