Mantendo a esperança!

“Porquanto, ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vacas, todavia, eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação.”Habacuque 3.17-18

Como manter a esperança nestes tempos difíceis em que vivemos? Como crer, se todas as evidências nos levam a pensar que não há razões e nem motivos para esperar o melhor?

Se olharmos em redor, só veremos situações que nos mostram a impossibilidade de crer em alguma coisa ou em alguém. Penso que nem precisamos de exemplos, tal é a evidência dessa verdade.

O profeta Habacuque viveu em dias amargos e suportou situações semelhantes às que enfrentamos agora. Em seu mundo rural, as frustrações se manifestaram na figueira que não floresceu; na parreira que não produziu uvas; as plantações não produziram o trigo ou a cevada; os currais de ovelhas foram saqueados e os de vacas, dizimados – ou seja: tudo que não deveria dar errado, falhou! Entretanto, ainda assim, ele conseguiu crer e esperar pela manifestação do amor e da graça de Deus!

E agora? E hoje? A nossa situação é a mesma! Mesmo que nada saia ou seja como esperamos ou queremos, é preciso crer.

Contra toda evidência, creiamos que é possível “alegrar-se no Senhor e exultar no Deus da nossa Salvação!”.

Do seu pastor e amigo
Gilton Medeiros